Nota de Esclarecimento: Show Fighting Enterprise

A tão aguardada disputa do cinturão do SFE no Equador por André Chatuba não aconteceu. O combate que seria realizado no evento na capital Quito foi cancelado minutos antes, nos camarins. Entenda o que houve na Nota de Esclarecimento abaixo.

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A RFT vem a público esclarecer os fatos que inviabilizaram a disputa de cinturão do atleta André Chatuba, no último sábado 30, no SFE (Show Fighting Enterprise).

O atleta André Chatuba deveria protagonizar o co-main event da noite no SFE em Quito, capital do Equador, contra Luis  “Sapo”. Ele estava em processo de adaptação no país há 15 dias e finalizando seu camp para o combate, demonstrando comprometimento com a organização do SFE e com o público. Cabe informar também que Chatuba estava no país com recursos próprios.

A pesagem procedeu corretamente, ambos os atletas atingiram o peso limite da categoria meio-médio e posaram para as fotos de divulgação a pedido dos organizadores na sexta, 29.

No dia seguinte, já nos camarins do ginásio onde aconteceria a luta, minutos antes do início do primeiro combate, Chatuba foi informado pela organização do evento que o adversário exigia a entrega de exames de sangue. Chatuba já estava aquecido e com a bandagem feita quando foi notificado. Imediatamente mostrou cópia digital de um exame realizado no Brasil. Os organizadores solicitaram ao adversário “Sapo” que também apresentasse exames originais, o que não foi cumprido. Seriam necessários exames impressos e assinados por um médico.

De acordo com o organizador do evento, Estefano a requisição de exames de sangue fazia parte da política do SFE, no entanto nenhum atleta cumpriu ou exigiu, exceto o adversário de nosso atleta. “Ao ver que Sapo exigia as análises de sangue, pedi o mesmo a ele. Mas também ele não tinha os papéis para entregar a comissão”, declarou Estefano ao RFT.com.br. Os exames apresentados por Chatuba e “Sapo” não foram aceitos pois não estavam impressos.

Contudo, o adversário disse que aceitaria o combate contra nosso atleta, e caso houvesse qualquer corte a luta deveria ser interrompida imediatamente, o que não foi aceito pela organização. Ainda segundo Estefano foi lamentável essa atitude. “Foi uma pena pois era uma luta que todos queriam ver no evento. Penso se poderemos remarcar para março ou abril”, finalizou.

Posted in: